RSS

SAI BABA

30 dez

O AMOR É DEUS

O AMOR É DEUS
0 amor dissolve o mais duro dos corações. 0 amor pode outorgar paz, alegria e sabedoria; cultivem o amor, expressem amor.
Deixem que o amor seja seu alento; deixem que o sol do amor ajude a florescer o lótus de seu coração. O amor é meu máximo milagre.  O amor pode fazê-los recolher o afeto de toda humanidade. 0 amor não tolera a aproximação de propósitos egoístas. 0 amor é Deus; vivam no amor. Expandam seu coração para que ele possa abarcar tudo. Não o limitem a um instrumento de amor restrito. 0 homem é a encarnação do amor.  Está sedento de amor e encontra verdadeiro deleite em amar e receber amor desinteressado.  Amem a todos como encarnações do mesmo princípio divino. A felicidade que proporcionam, o amor que compartem, apenas estes constituirão suas posses mais duradouras. Amor. Somente o amor pode uni-los aos outros e a Deus, que é a encarnação do amor. O amor não conhece o medo, a falsidade, a ansiedade, nem a tristeza.  Eu sou amor.   Eu derramo amor.
Eu compartilho amor; me regozijo no amor; os abençôo para que possam levar mais e mais amor a maior número de seres. 0 amor pode transformar o homem num ser divino, o ajuda a manifestar o divino que é sua essência. 0 amor pode amansar até a mais feroz das bestas. Comecem por irradiar amor a todos os membros de sua comunidade e expandam-no a toda a humanidade, inclusive às criaturas inferiores. Embebam cada instante em amor, isto é, em Deus. Nasçam no amor, morram no amor, vivam no amor, ou seja, emerjam de Deus e fundam-se em Deus.  Sejam uma onda no oceano do amor. Não deveriam morrer, deveriam fundir-se e realizar-se.  Esse é o destino, esta é a sina. Semeiem amor; encham-se de amor.  Se não podem amar ao homem, como esperam amar a Deus ? 0 amor deve ver o melhor que há no outro e não o pior.  0 amor não pode ignorar a divindade nos outros.  0 amor é a maior das virtudes. 0 amor é a base do caráter. Deus é amor e só pode ser conquistado pelo cultivo e exercício do amor. 0 amor é expansão e a expansão é vida divina.  Semeiem amor; florescerá como compaixão e tolerância.  Dará o fruto da paz. A menos que cultivem o amor, a tolerância, a humildade, a fé e a reverência, como lhes será possível sentir a presença de Deus ? 0 amor aciona. 0 amor realiza.  Encham seus corações com a água doce e fragrante do amor. Então cada ato de vocês, cada palavra (que é como a água do tanque, que se obtém através das torneiras da língua, do cérebro, das mãos, etc.) será doce e perfumada.  Se o tanque está contaminado, como a palavra poderá ser proveitosa, o pensamento benéfico ou a ação recomendável? Quando sabem que não são outra coisa que uma chispa do divino e que tudo demais é a mesma chispa divina, olham tudo com reverência e verdadeiro amor. Seus corações estão cheios de suprema alegria e o câncer do egoísmo se torna ineficaz.
0 homem busca bem-aventurança em lugares afastados, em espaços silenciosos, ignorando que a fonte da felicidade está em seu coração, o refúgio da paz está em si mesmo.  0 amor é Deus; Deus é a encarnação do perfeito amor.  De forma que Ele pode ser conhecido e descoberto, alcançado e conquistado somente através do amor. A lua só pode ser vista por causa de sua própria luz.  Deus só pode ser visto através do raio do amor. Um tipo de amor se expressa como apego às coisas, afeto a parentes e amigos, desejos por objetos. Outro tipo de amor se revela nas relações humanas, na reverência ao grandioso e na devoção a Deus.  Cultivem o amor e todos seus aspectos serão alimentados e favorecidos.  Só há um caminho real para a viagem espiritual: o amor. Amem a todos os seres como manifestações da mesma divindade que é a verdadeira essência de vocês.  Amem a todos os seres, isto é suficiente. Vejam Deus em todos; até nas pessoas que consideram inimigas.  Pratiquem este tipo de amor pleno, que tudo contém. Lembrem-se de que quando o amor se instala no coração, não encontrarão espaço nele os ciúmes, o ódio nem a mentira. A expansão é vida.  A expansão é a essência do amor.  Vivam em amor. 0 amor se expressa como serviço.  O amor cresce através do serviço.  0 amor nasce na matriz do serviço.  E Deus é amor. A conduta reta deve surgir do coração como a água fresca energizada pelo amor e pela paz. A meta só pode ser alcançada através da purificação do caráter e do cultivo do amor desinteressado. Para chegar a Deus, o amor é suficiente.  0 amor é a chave para abrir a porta fechada pelo egoísmo e a cobiça. 0 amor para com tudo deve fluir espontaneamente do coração e adoçar todas sua palavras.  A disciplina espiritual que mais ajuda ao homem é o amor. Nutram a pequena semente de amor que se adere a "mim" e ao "meu"; deixem-na brotar em amor pelo grupo que os rodeia e crescer em amor para toda a humanidade e estender seus ramos sobre os animais, as aves, os seres que reptam e se arrastam; e deixem que o amor envolva todas as coisas e os seres do mundo inteiro. Vão de pouco amor a mais amor, de amor limitado a amor expandido. Expandam-se em amor universal, em equanimidade inquebrantável e em virtude sempre ativa.  Esse é o caminho que manifestará, em total plenitude, a divindade que existe dentro de vocês. A característica inata do homem é o amor divino, sua natureza é amor divino, seu alento é amor divino. Deus é a fonte de todo o amor.  Amem a Deus, amem ao mundo como a vestimenta de Deus, nem mais nem menos.  Através do amor, vocês podem submergir no oceano do amor.  0 amor cura a mesquinharia, o ódio e o sofrimento.  0 amor desata os laços. Salva o homem do tormento de nascimento e morte.  0 amor une todos os corações numa sinfonia suave como a seda. Através dos olhos do amor, todos os seres são belos, todos os atos consagrados, todos os pensamentos inocentes, o mundo é uma imensa família. Amem … amem … amem primeiro. Amem tanto quanto dure a vida. Minha vida é minha mensagem. Minha mensagem é amor.  Sathya Sai Baba
 

O TRABALHO

O Trabalho
”Na vida quotidiana resulta essencial o trabalho bem feito.  Isto se aplica a qualquer tarefa que vocês devam realizar, sem importar se serão avaliados por outros ou não.  Quando um trabalho não é realizado dentro do nível de excelência, alguma coisa na ordem natural é afetada, isto incide no espírito,  quebrando sua harmonia.  Acontece que cada um de vocês conhece no profundo de si como fazer cada coisa de maneira perfeita, impecável e, se respondem  ao impulso de não alcançar esse nível, sabem que cederam à inércia , à preguiça, ao menor esforço.
Estes sentimentos empobrecem o caráter com o risco de virar hábito se for repetido, e então será difícil fazê-lo desaparecer. No fundo de toda tarefa feita pela metade está a dúvida sobre o valor do próprio esforço,que se expressa na pergunta"e…para que? formulada quando a gente age pensando só no resultado da ação. Vocês devem agir pela própria ação, não pelos resultados;devem buscar sempre a excelência,a qualidade, que é o único que permite desfrutar depois do repouso.  De outra maneira,o ser humano frustra-se. "Não importa" diz-se, e continua adiante acreditando que jogou fora o assunto.  E não é assim, esta coisa mal feita segue agindo dentro de vocês como um conflito não resolvido, porque o sentimento do ótimo reclama sua parte e, como não a recebe, reflete esta falta na auto-estima, então a auto-estima diminui. Tudo isto gera tensão e o indivíduo se empobrece. Façam então o caminho inverso.  Tomem cada tarefa, por  simples que seja,como um presente  para Deus. Façam-no assim, à  medida do Divino ao pouco tempo,esta tendência, se converterá em hábito tão natural de seguir, como dormir ou respirar.  O sentimento de satisfação de cada tarefa levada a cabo desta maneira exemplar irá mostrando-lhes que o caminho da evolução humana  não tem fim, cada vez será mais fácil fazer tudo melhor; isto fortalecerá vosso caráter, elevará a auto-estima e facilitará o descanso sossegado  e feliz de quem não tem contas pendentes com a vida. Quando o trabalho está bem feito não tem laços nem ligações. Somente se o trabalho está bem feito pode se dizer que está acabado, e isto faz que possas te desligar e pôr toda tua energia em outra coisa…”Sathya Sai Baba.
Ciência e Religião

O homem de hoje aprendeu a voar como os  pássaros, no ar,   e a nadar como os peixes no mar, mas não aprendeu  a viver como homem na terra.
A ciência pode ensinar ao homem a elevar-se no ar e a nadar no mar porém só a religião e não a ciência pode ensinar a viver como homem sobre a terra. Assim que se a ciência devesse fomentar o desenvolvimento integral do homem então deveria recorrer à religião. Religião não significa apego cego a determinada crença; ao contrário, ela ajuda ao homem a alcançar a meta da vida humana cuja base está no discernimento e os valores sagrados. Por tanto nenhuma religião pode ser má. Por isto o grande cientista Einstein declarou que a religião sem ciência estaria aleijada e a ciência sem religião, cega, enfatizando assim a necessidade de uma combinação de bom senso entre ciência e religião para servir às necessidades da humanidade. A religião é uma imensa ajuda para estimular o desenvolvimento integral da personalidade humana. Enfatiza a unidade na diversidade.
A verdadeira religião ensina harmonia e unidade entre todas as religiões. A essência, assim como a meta de todas as religiões, é obter a pureza da mente e do coração. Cada religião tem seus próprios preceitos e princípios. Nenhuma predica o ódio, a falsidade ou a falta de retidão. Todas dizem: “Fala sempre a verdade”, pratica a retidão”. Assim todas enfatizam os valores humanos e servem de faróis para o progresso e desenvolvimento da humanidade. Todas as religiões facilitam a manifestação da divindade inerente no homem. Mas o homem em geral e a juventude em particular esqueceram a cultura do passado e os valores sagrados e se afastam de Deus seduzidos pela ciência e a tecnologia modernas. Mas, com o passar do tempo, os cientistas estão modificando seus pontos de vista no sentido de que o Universo é guiado e governado por algum poder divino. As incontáveis estrelas e planetas giram no Universo a tremendas velocidades. Se se desviassem levemente de suas órbitas ou variassem suas velocidades, o resultado seria um holocausto universal. Quem ordenou que se sujeitem a suas velocidades e órbitas? Os cientistas estão criando satélites artificiais que giram ao redor da Terra, mas eles batem ou se incendeiam em poucos dias ou meses, enquanto que os planetas na Criação de Deus seguem suas órbitas de maneira regular desde tempos imemoriais, sem se bater nem incendiar. A luz viaja a uma velocidade de 300 000 km/s. Ainda com esta velocidade enorme, a luz precisa de muitos anos para viajar entre as estrelas das constelações. Na Via Láctea, que é visível para nós, existem incontáveis estrelas que são desconhecidas. A luz de muitas estrelas ainda não chegaram na Terra, embora surgiram faz milhares ou milhões de anos. Ainda para os cientistas é difícil compreender em sua totalidade tais aspectos da Criação. Que contraste existe entre um cientista que se enche de orgulho por ter descoberto uma ínfima fração do mistério da Criação, e o Criador (Deus), quem governa todo o Universo pacífica, silenciosa, paciente e amorosamente sem pompas nem orgulho! Sri Sathya Sai Baba
 

AMOR E REVERÊNCIA

Amor e reverência

A Glória e Majestade do Senhor estão imanentes no Universo, como fragância no ar, como calor no fogo, ou como a manteiga no leite. Ele é o fio que passa através e mantém unidas todas as contas [de um rosário]. Conhecê-Lo deste modo, para compreender que Ele é a fonte, sustentação e summum bonum de toda esta Criação é o fim e propósito da vida humana. Este é o resumo e corpo principal dos ensinamentos de todas as escrituras que o homem herdou do passado, em todas as línguas e em todos as regiões da Terra. Todas as religiões são apenas ensaios na demarcação do caminho que leva à essa consumação. Todos os códigos morais regulam o falar, a ação e sentimentos humanos de modo a tornar o homem apto para ver o caminho mais claramente e tornar seus passos mais firmes. A Índia é a terra onde este conhecimento precioso foi ganho e espalhado por seguidores ardentes e sábios. Mas, hoje, temos que deplorar a decadência desses ideais, e a queda dos hindus que desceram ao nivel de ridicularizar a elevada bem-aventurança espiritual que esses sábios alcançaram. Chegou o tempo de reverenciar a cultura que concedeu a eles essa visão e essa vitória, de novamente dedicar-se à peregrinação em direção à Verdade, de descobrir na selva de muitas formas a Unidade básica, que é a realidade. Como equipamento para esta árdua jornada, os sábios estabeleceram vários regulamentos, disciplinas, práticas e caminhos; aderindo a eles, o homem é capaz de recordar-se constantemente que ele está destinado a compreender sua Divindade essencial. O jejum e a vigília prescritas no Dia de ‘Shivaraathri’ são exemplos de tais disciplinas; já que o jejum e a vigília são destinados a deixar a mente longe dos sentidos e em direção do Senhor.
Cinco sacrifícios para serem feitos por qualquer homem Os sábios estabeleceram, para o mesmo esforço elevado, cinco sacrifícios para qualquer ser humano, em qualquer lugar que esteja, para qualquer denominação que possa ter. Esses ‘yajnas’ não são exercícios rituais elaborados, acompanhados por recitação Védica, prescritos para alcançar um estágio específico de Bem-aventurança no pós-vida ou vitória específica sobre um aspecto da natureza humana. Eles são mais simples e mais democráticos. Eles estão sendo realizados, casualmente e sem consciência de sua significância, pelo homem em toda parte. Esses ‘yajnas’ não necessitam de credenciais especiais daqueles desejosos de realizá-los. Qualquer um pode entrar neles e ser bem sucedido. Eles são passos essenciais no progresso espiritual. Os cinco ‘yajnas’ (sacrifícios) são: (1) sacrifício por Deus; (2) sacrifício para reverenciar os sábios; (3) sacrifício para reverenciar os progenitores; (4) sacrifício para reverenciar os companheiros humanos; e (5) sacrifício para reverenciar os companheiros animais. Eles são chamados ‘Daivayajna’, ‘Rishiyajna’, ‘Pithruyajna’, ‘Athithiyajna’, e ‘Bhuuthayajna’, em sânscrito. 1. ‘Daivayajna’: é uma prática recomendável, a separação de uma pequena sala para o relicário, enquanto se constrói uma casa. Em toda casa hindu, existe um templo ou altar ou relicário doméstico, onde os membros da família, individualmente ou todos juntos, podem adorar a Deus. Geralmente, existe uma pintura ou um ídolo colocado lá, para relembrá-los do Imensuravelmente Vasto que ele representa. Veneração diária é oferecida neste relicário, preces são dirigidas na sua frente, meditação é feita naquela quietude, o Nome de Deus é tomado na língua e sua doçura apreciada. Este é o ‘Daiva-yajna’; ele purifica o dono da casa e traz Deus para a consciência do homem através de todas as suas atividades. Atividades para reverenciar os sábios 2. ‘Rishiyajna’ é o termo usado para as atividades dos homens que reverenciam os sábios. Elas são principalmente: o estudo e a prática das escrituras sagradas, que são os tesouros de sabedoria ganhos por árduo ascetismo dos sábios. Os Vedhas são os textos mais antigos, os mais completos, filosoficamente os mais profundos, os mais práticos de todas as escrituras e os mais universais. Então, tem-se o Raamaayana, o Mahaabhaaratha, o Bhaagavatha e outras narrativas da eterna luta entre o certo e o errado e da sempre presente Graça Divina que ajuda o triunfo do Certo. Esses e outros livros esclarecem e consolam, elevam e reanimam, corrigem e convencem, e prenchem a mente com coragem e humildade. É realmente uma tragédia que essas fontes vitais de firmeza estão negligenciadas e as pessoas leiam, ao invés delas, livros que são parciais e irreverentes, degradantes e vulgares, descrevendo o comportamento insano de dementes desafortunados, sem estarem conscientes do dano que causam para os seus próprios progressos e saúde mental. Esses livros lentamente prendem o homem na mira do sexo e pecado; eles voltam o homem para caminhos animalescos. Afirma-se que ser "homem" é apenas metade das tarefas da vida; deve-se provar, pelas próprias ações, falas e pensamentos, que não se é uma besta (animal)! Isto é o inverso da primeira afirmação; e não pode ser ignorado. Seja humano; mantenha longe a fera; controle seus sentidos, paixões e emoções com as rédeas da discriminação e despreendimento. Isto é o que os bons livros ensinam. Vá à eles para conselho e inspiração. Os pais devem ser cuidados e obedecidos 3. O terceiro sacrifício é em benefício de seus pais, o Pithruyajna. A ordem dos Vedhas é "Maathru dhevo bhava; Pithru dhevo bhava" – "Possa a Mãe ser seu Deus; possa o pai ser seu Deus". O verso é repetido ‘ad nauseum’ atualmente, mas, não há sinal de reverência para os pais em parte alguma. Uma geração que não respeita e auxilia seus pais está fadada a acabar em desastre. Os pais sofrem grandes privações, e negam-se vários confortos de modo a colocar seus filhos na escola e faculdade; mas, as crianças são ingratas; elas zombam e riem, elas causam dor mental e fome física para seus pais por ridicularizar seus hábitos e atitudes, e esquecer suas orientações com negligência. Quando os criadores do seu corpo físico e mental são tratados assim com sacrilégio, como pode alguém esperar que você adore o Criador do Universo, Deus, que provém tudo? Honre seus pais, desse modo seus filhos aprenderão a honrá-lo. Existe uma ótima estória mencionada nos Puraanas sobre isto. Os Pais Divinos, Shiva [Deus da trindade hindu – da destruição, para que ocorra a renovação] e Paarvathi [sua consorte], uma vez propuseram um teste para seus dois filhos – Ganapathi e Subrahmanya. Eles deveriam correr por todo o mundo e voltar até eles; aquele que o fizesse mais rápido ganharia o prêmio. Subrahmanya começou logo e rápido, e foi passando por montanhas e vales; mas, Ganapathi andou rapidamente ao redor dos Pais e reclamou o prêmio. Ele disse, os Pais são todo o mundo – e essa afirmação foi aceita como correta. Ganapathi foi colocado como a divindade supervisora da aquisição de conhecimento e como a Divindade que pode salvar todos os aspirantes dos obstáculos nos seus caminhos. A moral desta estória é que os pais devem ser cuidados e obedecidos. Este é o Pithruyajna real. Eles representam renúncia, tradição, a cultura acumulada do passado, os valores permanentes, como contrastado com as vaidades fugazes. Esta é a razão porque Shiva é visto como Saamba-Shiva, Sa-Amba-Shiva, onde Amba significa Mãe e Shiva, significa Pai, e Sa indicando Sathya (Verdade), Sarvavyaap (Onipresença), Sarvajna (Onisciência), e Saakshaathkaara (Realização Interior). Trate o estranho pedindo comida como enviado de Deus 4. Athithiyajna significa que os atos feitos para agradar e confortar o A-thithi (aquele que vem apenas por um dia), isto quer dizer, o Estranho, que vem à sua porta pedindo comida ou abrigo. Dê-lhe isso, como um ato de adoração. Trate-o como tendo sido enviado por Deus ou como o Próprio Deus. Esta é uma tarefa sagrada apreciada pelos Vedhas. Compartilhe sua refeição com qualquer um que peça por comida quando você estiver para comê-la. Sacie sua fome antes de saciar a sua. 5. O último dos yajnas é o Bhuuthayajna – passos para confortar e manter alegre os animais que colaboram e aqueles que acompanham uma pessoa – bois, vacas, cabras, cavalos, que a ajudam com sua labuta, e cães, gatos e outros animais de estimação que tornam sua casa agradável e cheia de contentamento. Você não deve deixá-los com fome ou sobrecarregá-los de trabalho. Se algum animal dependente de você para amor e cuidados deixar cair uma lágrima em sua casa ou fazenda, lembre-se que você sofrerá muito mais depois. Amor e reverência – essas são as fontes reais para o sacrifício ou yajna. Deixe que todos os seus atos, palavras e pensamentos sejam preenchidos com Amor e Reverência. Então, você terá paz e contentamento imperturbáveis. Sri Sathya Sai Baba
 
A MENTE, O CORPO E O SER  A Mente, o Corpo e o Ser Sri Sathya Sai Baba

O homem está amarrado pela mente e os sentidos. No caminho espiritual o primeiro a fazer é controlar a mente; se a mente está calma, então alcançarão um estado de mente superior. Neste estado não são alcançados pelos sentimentos mundanos, físicos ou transitórios. Enquanto a mente seja pura, nenhuma maldade poderá invadir o coração; quando a mente está contaminada por maus sentimentos, então permitirá a procriação de pensamentos malignos. Assim como as mãos, os ouvidos, os olhos e as pernas são membros ou órgãos do corpo humano, os corpos de todos os seres humanos são membros da sociedade. A sociedade é um membro da humanidade e esta é um membro da natureza, esta, por sua vez, é um membro da Divindade. Compreendam esta relação entre a Divindade e os seres humanos com a adequada perspectiva. Pelo fato de se identificarem com o corpo, não é realizada a divindade inerente. O corpo é somente um instrumento. Devemos comer para sustentâ-lo; precisamos do alimento para sua proteção e roupa para protegê-lo do frio e do calor. O corpo é a fonte de todas as doenças que surgem pelo desejo (de objetos materiais). O desejo propicia o surgimento do apego e do ódio. Não há nada errado em desejar comida, refúgio e roupa. Os desejos excessivos são os que originam apego e frustração. O desejo deve estar dentro de certos limites, eles não devem ser convertidos em doença oculta. O desejo de acumular não existe nos pássaros e nas bestas, mas ele abunda só entre os seres humanos. O homem perde sua qualidade humana por causa desta cobiça em atesourar para propósitos egoístas. O corpo, a mente e o intelecto são como as roupas que usam. Por acaso choram quando trocam sua roupa velha por outra nova? A morte é uma troca de vestimentas. Por causa da enorme associação que estabeleceram com o corpo, vocês choram quando chega a morte. Considerem que esta relação é só temporal. Muitos perguntam: Que acontece com a alma depois da morte do corpo? Quanto tempo se tarda em renascer? Isto não faz sentido.. Pode ser explicado com um exemplo: quando ligam a chave da lâmpada, esta se acende pela corrente elétrica que flui até ela. Se tiram a lâmpada não acontece nada com a energia que ainda está ali, embora não mais na lâmpada. Da mesma maneira o corpo vêm e vai, mas a alma é eterna. Encarnações da Divindade! Vocês devem eliminar todas as ideias e atitudes estreitas. Todas as coisas mundanas são como nuvens passageiras, só a Divindade é permanente e imutável. Ela pode ser realizada através do caminho do amor puro.

 OS MILAGRES DE SAI BABA

No início de sua vida adulta,muitas vezes Sai Baba deixava o corpo quando um devoto,longe de onde ele estava, lhe pedia ajuda.Quando isso acontecia,seus discípulos mais próximos cuidavam do seu corpo físico.Certa vez, ele precisou deixar o corpo no início da noite, e, então, os discípulos o deitaram na cama. De repente o corpo levitou e começou a flutuar ao redor do quarto.Cinzas sagradas emanavam dos seus pés em abundância.Os devotos ouviram-no murmurar:"Maharshi está aos meus pés de lótus".Pouco depois,ele desceu e se acomodou na cama.No dia seguinte, o ashram recebeu a notícia de que  Ramana  Maharshi, o santo   da Índia  que  havia alcançado  a  realização em Deus, morrera às 21h da noite anterior, exatamente no momento  em  que  Sai  Baba levitara. Em  outra  ocasião, Sai Baba proferiu uma palestra em seu ashram, embora todos soubessem que ele estava numa casa em outra parte da Índia. Em outras palavras, ele esteve em dois lugares ao mesmo tempo durante dois dias. Uma outra vez, seu carro ficou sem gasolina.Sai Baba disse ao motorista para ir até o rio encher o balde com água. O motorista foi ao rio, apanhou a água e entregou o balde a Sai Baba. Sai Baba pôs o dedo na água e a transformou em gasolina; depois de despejá-la no tanque, eles continuaram a viagem. Outra vez, ainda, ele viajava com algumas pessoas, e pararam para almoçar. Sai Baba perguntou: "Que fruta vocês querem comer?" Cada um queria uma fruta exótica, algumas das quais nem existiam na Índia. Sai Baba disse-lhes: "Vão até aquela árvore e apanhem-na". Ao olhar para a árvore, viram que ela havia produzido a fruta que cada um desejara. Uma das histórias mais notáveis é a de que um dia Sai Baba estava caminhando com um dos seus discípulos ocidentais mais antigos, John Hislop. Sai Baba inclinou-se, apanhou um graveto e, por uns dez segundos, imprimiu à mão um movimento que em geral indicava que iria materializar alguma coisa. De repente, um belo crucifixo de madeira se fez visível, com uma imagem em metal de Jesus Cristo pregada nele. Sai Baba disse-lhe que o crucifixo representava exatamente a aparência que Jesus assumira na cruz ao ser crucificado. E disse também uma coisa extraordinária: que a madeira do crucifixo era a mesma da cruz em que Jesus havia sido crucificado. Sai Baba acrescentou que não era fácil materializar essa madeira porque havia se decomposto na terra, o que lhe exigira um tempo a mais para realizar a materialização. Sai Baba presenteou o crucifixo a John Hislop, que ficou profundamente sensibilizado. Ao voltar aos Estados Unidos, ele submeteu o crucifixo ao teste do carbono para precisar sua data. O cientista confirmou: o crucifixo tinha dois mil anos.  Um casal de americanos idosos de nome Sr. e Sra. Walter Cowan eram devotos de Sai Baba há longo tempo. Eles viajavam pela Índia quando, certa manhã, Walter Cowan teve um ataque cardíaco e morreu numa cidade distante do ashram de Sai Baba. A esposa tentou enviar um telegrama a Sai Baba, mas não conseguiu entrar em contato com ele. Seis ou sete horas depois, Sai Baba, tendo recebido o telegrama, apareceu no hospital. A família e os amigos de Walter já haviam saído. Sai Baba disse aos administradores do hospital que gostaria de ver o corpo de Walter Cowan. Eles o conduziram até o quarto e se retiraram. Cinco minutos depois, Sai Baba e um Walter Cowan totalmente vivo saíram do quarto caminhando. Os funcionários e os médicos do hospital ficaram desconcertados. Para dizer o mínimo. Walter Cowan, então, voltou para sua mulher e para sua família; quando o viram, também eles quase tiveram um ataque do coração. Walter disse aos seus familiares que, enquanto estivera morto, Sai Baba permanecera com ele no mundo espiritual. Ele fora levado junto com Sai Baba através de dimensões de realidade até uma câmara de conselho repleta de pessoas dispostas em torno de um presidente. O presidente tinha junto de si pergaminhos que continham o registro das vidas passadas de Walter, e durante duas horas lera esses pergaminhos em voz alta. Walter Cowan estava surpreso com todas as suas vidas dedicadas ao serviço e à ajuda das pessoas. Terminada a leitura, Sai Baba disse ao presidente que Walter ainda não havia terminado sua missão na Terra e que queria levá-lo de volta para que ele pudesse concluí-la. O presidente concordou, e então Sai Baba levou Walter de volta para seu corpo físico, onde ele despertou perto de Sai Baba! Outra história ainda mais impressionante é sobre um casal de indianos, devotos de Sai Baba.O marido recebeu o diagnóstico de uma doença extremamente grave, e todos os médicos diziam que ele morreria a qualquer momento. Sua mulher passou um telegrama para Sai Baba, pedindo ajuda. Sai Baba respondeu que iria visitá-los. O homem piorou e acabou morrendo. Sua mulher voltou a telegrafar para Sai Baba, que novamente disse que iria vê-los. Passou-se um dia, passaram-se dois dias. A rigidez da morte tomava conta do corpo. Um terceiro dia se passou, e a família desistiu de Sai Baba. Foi quando ele, inesperadamente, apareceu. Todos os familiares do morto lamentavam sua perda. Sai Baba disse-lhes que queria ficar a sós com o corpo morto. Ele fechou a porta e, segundo a história, pronunciou um dos seus "faça-se", muito semelhante ao que Jesus fez quando disse: "Lázaro, levanta-te!" O homem acordou depois de ficar morto durante três dias! Sai Baba deu-lhe um chá quente e lhe disse que sua família estava preocupada, e que ele deveria sair e consolá-los. Uma outra vez, Sai Baba caminhava com um geólogo conservador, bastante fechado às coisas do espírito. Enquanto caminhavam por um bosque, Sai Baba apanhou uma pedra e perguntou ao geólogo, "O que é isto?" O geólogo respondeu: "É uma pedra, Baba." Sai Baba disse, "Não, não! Mais fundo, mais fundo!" O cientista respondeu, "São átomos e moléculas vibrando a uma certa velocidade." Sai Baba, "Não, não! Mais fundo, mais fundo!" O geólogo ficou perturbado e disse, "Eu não sei, Baba; o que é?" Segurando a pedra, Sai Baba soprou nela e a transformou instantaneamente numa estátua do Senhor Krishna, bem diante dos olhos do geólogo, que ficou em estado de choque. Então Sai Baba disse: "Coma-a." O geólogo disse, "O quê?" Sai Baba repetiu, "Coma-a." A estátua era feita de doce de pedra. Em outra ocasião, Sai Baba estava fazendo algumas palestras para estudantes na escola onde ele havia começado seus estudos. Num determinado dia, ele lhes contava uma história sobre um colar de esmeraldas que Krishna usara sete mil anos antes. De repente, Sai Baba perguntou: "Vocês gostariam de ver esse colar de esmeraldas?" Com um movimento da mão, ele materializou o colar de Krishna e o passou pela sala para que todos pudessem vê-lo e tocá-lo. Quando todos fizeram isso, ele desmaterializou o colar e o mandou de volta para o seu lugar de origem. Um devoto de Sai Baba contou um fato acontecido com um amigo dele. Esse seu amigo seguia os ensinamentos de Sai Baba, mas, na época, estava morando na Califórnia e passando por uma turbulência emocional que o levava a pensar em suicídio. Certa noite, ele finalmente decidiu tirar a vida. Pegou o rifle, carregou-o e estava para apertar o gatilho quando a campainha da porta tocou. Ele escondeu a arma debaixo do cobertor em sua cama, fechou a porta do quarto e foi ver quem era. À sua frente estava um amigo dos tempos do segundo grau, alguém que ele não via há uns vinte anos. Esse amigo entrou sem cerimônias na sala, e os dois conversaram por algumas horas, o que animou um pouco o nosso protagonista. Então, inesperadamente, o visitante disse-lhe que precisava ir embora. Durante todo o tempo da visita, nosso homem não havia perdido de vista seu visitante, mas quando ele foi ao quarto buscar a arma, ela não estava mais lá. Ele teve uma vaga impressão de que Sai Baba tinha alguma coisa a ver com isso. Como não tinha mais arma, ele não poderia mais se suicidar, e acabou fazendo outra peregrinação à Índia. Nos primeiros dias de permanência no Ashram, Sai Baba o escolheu dentre a multidão para uma entrevista reservada com um grupo de umas vinte e cinco pessoas. Quando Sai Baba se apresentou para saudar o grupo, ele se dirigiu a esse homem, disse-lhe para segui-lo e o levou até umas das salas dos fundos. Ao entrar na sala, nosso amigo viu uma arma sobre a mesa. Ao examiná-la com atenção, ele viu que era o seu rifle. Sai Baba sorriu delicadamente e perguntou, "Você ainda está precisando disso?". Certo dia, Sri Aurobindo, o grande mestre espiritual da Índia, estava meditando. Ao terminar a meditação, ele disse aos seus disípulos que Krishna havia descido ao mundo físico no dia anterior, 23 de Novembro de 1926. Esse é o dia do nascimento de Sai Baba. Maomé, o fundador do Islamismo, profetizou a vinda do que ele chamava de "O Ser Dourado". Três profecias específicas diziam que o Ser Dourado seria de estatura baixa, teria uma pinta no rosto e viveria até os noventa e seis anos de idade. Isso descreve Sai Baba perfeitamente. As profecias dos índios Hopi falavam de um grande Avatar futuro que viria do Oriente e se vestiria de vermelho. Sai Baba sempre usa túnicas vermelhas e alaranjadas. Essas profecias foram bem específicas, e Sai Baba se amolda a cada uma delas. ai Baba diz que podemos conhecer um Avatar por meio de dezesseis sinais: controle das cinco funções do corpo, controle dos cinco sentidos do corpo, controle dos cinco elementos da natureza. Esses quinze primeiros sinais são obtidos através de práticas e de disciplinas espirituais. A décima sexta qualidade só é alcançada pela descida de uma Encarnação Divina, de um Avatar que alcançou a realização em Deus desde o nascimento – onisciência, onipresença e onipotência absolutas. Quando alguém perguntou a Sai Baba se ele dorme, ele respondeu que somente dorme se ele quiser. Quando lhe foi perguntado por que ele realiza milagres, ele respondeu que faz isso para chamar a atenção das pessoas e orientá-las para Deus. Um milagre extraordinário que está acontecendo na Índia e no mundo é a criação da Cinza Vibuthi. Essa cinza sagrada é algo que Sai Baba cria com um giro da mão e que é usada com objetivos de cura e de bênção. Há algumas pessoas em todo o planeta cujas jarras e urnas estão sempre cheias de Vibuthi, e também nas fotografias de Sai Baba em todo o mundo.  Sai Baba diz que lê todas as cartas de pessoas que lhe escrevem. A única coisa que ele precisa fazer para saber instantaneamente o que a carta contém é tocá-la. Sai Baba diz também que ninguém sonha com ele sem que ele assim o deseje; portanto, se você sonhar com Sai Baba, é porque você já entrou em contato pessoal com ele. Uma das coisas boas sobre Sai Baba é o fato de que ele está encarnado fisicamente e é acessível tanto no sentido físico como no espiritual.  

O AVATAR DA NOVA ERA

 Bhagavan Sri Sathya Sai Baba nasceu em 23 de novembro de 1926 em Puttaparti, uma pequena aldeia do Sul da Índia. Desde pequeno, demonstrou extraordinárias qualidades e aptidões que claramente o destinguiam das demais crianças. Era extremamente prestativo e generoso para com todos; trabalhava desinteressadamente e, muitas vezes, levava mendigos para comer em sua casa. Seus companheiros o chamavam de Guru (Mestre), porque os dirigia em cânticos devocionais, antes de entrarem na escola, e os fascinava e divertia, tirando doces e brinquedos de uma bolsa vazia. Sua sabedoria e compaixão tinham o poder de produzir profundas mudanças de caráter e de comportamento naqueles que o seguiam. Por volta dos 14 anos, após ser picado por um escorpião e ter ficado desacordado por vinte e quatro horas, acordou e comunicou a seus familiares e seguidores que na sua vida anterior havia sido o grande santo e avatar Shirdi Sai Baba (um dos maiores santos da Índia no final do século XIX e início do XX). No entanto, os familiares e amigos que estavam presentes não acreditaram nele. Então, o menino apanhou um vaso de flores e o jogou ao chão. Pedaços do vaso voaram por toda parte, e quando as flores caíram formaram as palavras "Shirdi Sai Baba". m seu leito de morte, Shirdi Sai Baba havia dito a seus devotos que renasceria oito anos após sua morte, numa determinada vila no Sul da Índia. Oito anos depois nasceu Sai Baba, cumprindo a profecia. O menino disse aos seus familiares que que desde esse momento seria conhecido como Sathya Sai Baba. O nome Sathya significa, em sânscrito, "Verdade" e Sai Baba significa "Pai e Mãe Divinos".  Aos 14 anos, no dia 26 de outubro de 1940, deixou a escola e comunicou a seus familiares que não mais residiria com eles, pois seus devotos o chamavam. Disse ainda que sua missão era promover a regeneração espiritual da humanidade, demonstrando e ensinando os mais elevados princípios, como a Verdade, a Retidão, a Paz, o Amor e a Não-Violência. Dez anos mais tarde, o número de seus seguidores havia crescido de tal maneira, que foi necessário construir um Ashram (local onde reside um Mestre com seus discípulos e onde se realizam práticas espirituais). Esse Ashram é conhecido como Prashanti Nilayam. Em 23 de novembro de 1950, inaugurou-se o "Ashram" que seus seguidores contruíram perto de seu povoado natal. É conhecido como Prashanti Nilayam (A Morada da Paz Suprema) e com o passar dos anos se converteu em lugar de reunião de milhões de pessoas procedentes de todo o mundo, que buscam a elevação espiritual. Sathya Sai Baba habitualmente se mistura com seus devotos, orientando-os, consolando-os e incentivando-os em suas vidas, problemas e aspirações.  Sai Baba disse que sua vinda é uma encarnação tríplice de Avatar. Em sua vida passada, ele foi Shirdi Sai Baba. Nesta vida é Sathya Sai Baba. Ele encarnará mais uma vez como Prema Sai Baba. Sai Baba está atualmente com oitenta anos (na Índia o ano do nascimento é contado como o primeiro ano) e diz que viverá até os noventa e seis. Aos noventa e seis anos, ele passará para o mundo do espírito; oito anos depois, encarnará novamente como Prema Sai Baba. Ele chegou a materializar para um devoto um anel em que ele aparece em sua futura encarnação como Prema Sai Baba.  Seus poderes sem limites transcendem a experiência mundana e científica, por isso Sathya Sai Baba está além da compreensão humana. Na tradição antiga da Índia, tem uma palavra para descrevê-lo: "AVATAR", que significa "uma manifestação direta da Graça Divina" ou "Encarnação de Deus na Terra".  Sai Baba tem demonstrado, em diversas ocasiões, que possui os atributos divinos pelos quais se conhece um AVATAR: Onipresença, Onisciência e Onipotência. Tem, ainda, realizado milagres semelhantes aos de Jesus Cristo, demostrando estar além do tempo e do espaço e ter o domínio dos elementos e das leis naturais. Realiza curas e materializa objetos, como anéis, rosários, vibhuti (cinza sagrada) e outros, de acordo com a Sua vontade. Porém, seu maior milagre é a transformação interior das pessoas que a Ele recorrem com dúvidas, anseios ou problemas e regressam a seus lares com amor no coração e a resolução de levar uma vida mais elevada e espiritual. Ele diz:
"Meus milagres são meus cartões de apresentação. Dou às pessoas o que elas desejam, para que, mais tarde, me dêem o que Eu desejo: seu amor por Deus".
As pessoas, muitas vezes, perguntam: "Que religião pratica Baba? Ele estabeleceu uma nova religião? As respostas podem ser encontradas nas próprias palavras de Sai Baba:  
"Não vim para falar em favor de nenhuma religião em particular. Vim para falar-lhes desta fé unitária em Deus, cuja VERDADE é UNA. Todas as crenças derivam ou são facetas dessa VERDADE." Todas as religiões são Minhas. Vocês não precisam mudar de religião. Continuem com seus próprios modos e práticas de adoração e, assim, se aproximarão cada vez mais de Mim".

A missão de Sai Baba não inclui a criação de uma nova religião, seita ou culto; pretende estimular e motivar o indivíduo na busca da Auto-Realização. As pessoas que têm suas próprias crenças devem se aprofundar nelas, sem se perturbarem, procurando realizar Deus em si mesmas. O caráter universal de sua missão está representado no SARVA DHARMA, o emblema da flor de lótus, com suas várias pétalas, que, simbolicamente, engloba todas as credos religiosos e também pode significar a reunião dos cinco valores humanos principais que são: Verdade, Retidão, Paz, Amor e Não-Violência, que fazem parte da natureza interna do homem, segundo Sai Baba, e que refletem a essência dos ensinamentos de todas as religiões.
Sai Baba veio para realizar a suprema tarefa de unir toda a Humanidade em uma só família por meio do vínculo do amor e da fraternidade e instruir a todos para que reconheçam a Divindade inerente em cada ser. Sai Baba diz:


"Vim porque os homens bons do mundo, o sábio, o santo, o aspirante espiritual, o guru e o piedoso clamavam por Mim. Regozigem-se os puros e os justos".

Sai Baba veio resgatar os valores humanos que esta civilização perdeu: a Verdade, a Retidão, a Paz, o Amor e a Não-Violência. Esses cinco valores contêm a essência da vida e são os pilares da mensagem de Sai Baba. Deles derivam todos os outros valores, sendo o Amor a base e a raiz de tudo.

"Pensar o Amor é Verdade. Praticar o Amor é Retidão. Sentir o Amor é Paz. Compreender o Amor é Não-Violência".

A fim de semear estes ensinamentos entre os jovens, Sai Baba criou um Programa de Educação em Valores Humanos, aplicado em escolas com milhares de alunos, em todo o mundo. Toda a sua prática está orientada para o desenvolvimento total e integral da personalidade do estudante, o fortalecimento de seu caráter e a sua auto-realização.
Os ensinamentos de Sai Baba ressaltam a importância do serviço desinteressado para o desabrochar da Divindade no homem. Baba diz:

"O serviço ao próximo é serviço a Deus. Quando vocês servem ao próximo, estão servindo a si mesmos, porque todos são Um. O serviço é o melhor modo de se encontrar a verdadeira felicidade na vida. Mas o desejo de servir deve surgir do coração, o fluir do Amor de Deus ali retido, sempre esperando para se expressar".

Sua inspiração e orientação tem proporcionado a formação de mihares de Centros Sai em todo o mundo, tem fundado colégios e escolas técnicas, centro de educação em valores humanos, universidades e hospitais.

O que é um Centro Sai?
Um Centro Sai é um lugar onde se reunem pessoas devotas de Deus, onde se cantam louvores e se estudam os ensinamentos espirituais de Sai Baba ou das principais Escrituras de todas as religiões.  Neles se deve prestar ajuda ao desvalido, ao enfermo, ao aflito, ao ignorante e ao necessitado, sem desejo algum de recompensa. Sai Baba diz:

"Os Centros não devem servir de foro para dar publicidade ao meu nome, nem para fundar um novo culto, baseado na minha adoração. O que se deve procurar nos Centros é suscitar o interesse pela oração, pela meditação e outras práticas espirituais, que conduzam o homem a Deus. Neles deve-se manifestar a alegria que provém do cantar e lembrar o Nome do Senhor, a paz que alguém pode experimentar quando o Bem o rodeia".
Os membros dos Centros Sai acham-se unidos, trabalhando na transformação que deve realizar-se no nível humano e por meios humanos. Com este fim, Sai Baba tem traçado um programa de grande alcance: serviço altruístico em favor do próximo, círculos de estudos, meditação, educação em valores humanos, etc. Seus membros provêm de todas as classes sociais e de diversos credos e culturas.

O que precisa para ser um membro ativo em um Centro Sai?
Unicamente um desejo intenso por descobrir a Própria identidade, a Paz Suprema, a Realidade Última.

Código de Conduta:
O primeiro propósito de um Centro Sai é o de estimular em seus membros o desejo de seguir o caminho espiritual que prescreve sua própria religião, até chegar a alcançar seus objetivos, necessitando para isso a realização de atividades de serviço que apoiem e promovam os grandes valores humanos. Com este fim, Sai Baba prescreveu um Código de Conduta para os membros de todos os seus Centros. Consta de nove pontos, a saber:
1) Dedicar-se à prática da meditação e oração diárias.
2) Realizar uma vez por semana uma reunião de Cantos Devocionais com os membros da família.
3) Os membros que tenham filhos deverão levá-los a participar dos programas educacionais dos Centros Sai.
4) Comparecer, pelo menos uma vez ao mês, às reuniões de Cantos Devocionais organizadas pelo Centro ou Grupo Sai.
5) Participar do trabalho de Serviço à comunidade e/ou dos programas da Organização Sri Sathya Sai.
6) Realizar estudo regular da literatura Sai.
7) Colocar em prática o programa "Limite aos Desejos" e utilizar as economias geradas para o serviço à humanidade.
8) Falar suave e amorosamente com todos.
9) Não falar mal dos outros, principalmente em sua ausência.
Para ser membro ativo ou voluntário de um Centro Sai não se cobra quota alguma de inscrição ou mensalidade, nem tão pouco se paga por nenhuma das atividades que se realizam no Centro.

Os Dez Princípios    Como um chamado para melhor entendimento e tolerância, animando os membros dos Centros Sai a servirem como exemplo, Baba anunciou Dez Princípios que formam a base para a "Integração Mundial da Humanidade". Esses princípios, que todos devem seguir, são os seguintes:
1) Amem e sirvam à sua Pátria. Não firam nem odeiam a pátria dos outros.
2) Respeitem todas as religiões com igualdade.
3) Reconheçam a fraternidade entre os homens. Tratem a todos como seus irmãos. Amem a Todos.
4) Mantenham seus lares e seus arredores limpos. Isto promove a saúde e a auto-estima.
5) Pratiquem a caridade, mas não alimentem a mendicância, dando dinheiro aos mendigos. Dêem-lhes alimentos, roupa, proteção e ajudem-nos a ajudarem a si mesmos (não estimulem a preguiça).
6) Não tentem a outros, subornando-os, nem se rebaixem aceitando suborno (nunca dêem lugar à corrupção).
7) Não estimulem o ciúme e a inveja. Tratem a todos da mesma maneira, sem levar em conta distinções sociais, de raça ou de religião.
8) Não dependam de outros para suas próprias necessidades pessoais; sejam seus próprios servidores, antes de se proporem a servir os outros.
9) Observem as leis de seu País; sejam cidadãos exemplares.
10) Cultivem o amor por Deus; afastem-se do pecado.
Em relação aos princípios anteriores, todos os membros dos Centros Sai Baba deverão ser um exemplo para os demais, guiando-se por eles e aderindo aos cinco valores humanos básicos: Verdade, Retidão, Paz, Amor e não-violência.

Como comunicarmo-nos com Sai Baba? Todos os caminhos conduzem a Deus. A fé é a força de que necessitamos para abrir as portas que nos levam à felicidade. Baba diz: "Chama-me pelo nome que seja mais fácil ao teu coração e Eu atenderei. Porque Eu sou todos os nomes e todas as formas são Minhas". Muitas pessoas no mundo gostariam de levar a Sai Baba alguma preocupação, ou pedir-lhe, talvez, a cura de uma enfermidade, mas não podem, no momento, viajar à Índia. Em tal caso, podemos nos comunicar com Ele através da oração. Orando a Ele, ou à Forma e ao Nome de Deus que seja do nosso agrado, Ele escutará o nosso rogo e, de acordo com a Sua divina vontade, atuará em resposta.Regozigemo-nos, pois temos a oportunidade ímpar de viver no mesmo século e sermos contemporâneos de um AVATAR e colhermos, pessoalmente, Dele, todas as lições e bênçãos, qual estivéssemos em pleno ano 30 da nova era, na Galiléia, às margens do Tiberíades, acompanhando JESUS em suas caminhadas e, da mesma forma, poder tocar Seus pés ou Suas vestes ou falar-Lhe e por Ele ser orientado. Incomensurável bênção é esta! "Somente existe uma Religião: A Religião do Amor
Somente existe uma Linguagem: A Linguagem do Coração
Somente existe uma Raça: A Raça da Humanidade
Somente existe um Deus, e Ele é Onipresente"

O ADVENTO DE SAI BABA

"Mãos que ajudam são mais santas que lábios que oram"  (Sathya Sai Baba) SAI BABA, TRÍPLICE ENCARNAÇÃO DO AMOR DE DEUS, CUIDA DE TODOS NÓS! O ADVENTO DE SAI BABA "Mãos que ajudam são mais santas que lábios que oram" (Sathya Sai Baba)

Um grande Mestre, de nome Sri Sathya Sai Baba, vive na Índia em nosso tempo, tão glorioso em sua grandeza espiritual que as palavras não conseguem fazer-lhe justiça.  Os milagres que Jesus Cristo realizou nos três últimos anos de sua vida, como ressuscitar mortos, materializar objetos, curar pessoas enfermas, e muitos outros milagres, Sai Baba vem fazendo há décadas. É difícil acreditar que um ser dessa magnitude esteja realmente vivendo na Terra. Na história da Terra, e num sentido espiritual, apesar de estarmos vivendo em uma época difícil,  não houve época melhor para se estar encarnado.  A vinda de Sai Baba foi profetizada há mais de cinco mil anos no Mahabharata, um dos livros sagrados da Índia. Ele contém o Bhagavad-Gita, que narra a história de Krishna. Nesse livro, Vishnu, um dos integrantes da trindade hindu formada por Brahma, Vishnu e Shiva, prevê uma era futura de declínio moral chamada Kali Yuga. Vishnu afirmou que nesse tempo, identificado com o atual período da história, retornaria como um grande avatar espiritual.  Um avatar é um ser que já nasce com a perfeição Divina.   Em outras palavras, um avatar não precisa se dedicar a nenhuma prática espiritual para alcançar a auto-realização, pois ele já nasce auto-realizado.  Foi isso que aconteceu com Sai Baba.   O Mahabharata e outras profecias antigas predisseram detalhadamente há mais de cinco mil anos as características específicas desse futuro avatar. As profecias dizem que esse avatar seria baixo e que teria uma espessa e vasta cabeleira; que poderia materializar o que quisesse com o poder de sua mente; que já nasceria com todas as qualidades necessárias; que usaria uma túnica rubra; que adotaria o nome da Verdade (O primeiro nome de Sai Baba é Sathya, que em sânscrito significa verdade).  Esse ser teria uma encarnação tríplice de Avatar; nasceria no sul da Índia, num corpo indiano e com o sinal do Avatar na planta do pé. Seus pais seriam seguidores de Krishna. Ele seria totalmente divino e teria alcançado  a  plena realização em Deus.   Além disso, seria onisciente e o ser vivo mais grandioso do mundo.  Ele teria a capacidade de prolongar a vida e de estar em muitos lugares ao mesmo tempo.  Todos  os  que  o  vissem se beneficiariam imensamente com isso.  Cada uma dessas profecias descreve perfeitamente Sai Baba. Muitas pessoas nunca estiveram na Índia, nem viram Sai Baba pessoalmente, entretanto, tiveram muitas experiências significativas e "encontros" com ele em sonhos e em meditações. Tudo o que se pode dizer é que  toda  pessoa  que  entrar em   contato com Sai Baba jamais será a mesma; portanto, busque a Ele, converse com ele em oração, abra seu coração a ele, fale dos seus problemas e dificuldades e peça ajuda e orientação. Procure se aperfeiçoar, e melhorar seu caráter seguindo sempre os cinco valores principais, que segundo Sai Baba são: Verdade, Retidão, Paz, Amor e Não-Violência.
SAI BABA, TRÍPLICE ENCARNAÇÃO DO AMOR DE DEUS, CUIDA DE TODOS NÓS!
PASSAGENS DA VIDA DE SAI BABA

 Há tantas histórias sobre Sai Baba que é difícil saber por onde começar. No momento do seu nascimento, instrumentos musicais começaram a tocar sozinhos. Em criança, ele podia materializar lápis, doces, alimentos ou o que precisasse, como se tirasse tudo do ar. Por ocasião de uma das festas sagradas dos hindus, quando todos os homens santos desfilam em pequenos carros alegóricos, as pessoas que observavam o desfile viram Sai Baba, então com cinco anos, sentado no lugar de honra do carro principal. Eles perguntaram por que aquela criança estava sentada ali. Todos os santos e rishis responderam que aquela criança de cinco anos de idade viria a ser o guru daquelas pessoas. Por volta dos 14 anos, Sai Baba foi picado por um escorpião e ficou desacordado por vinte e quatro horas. Quando acordou, todos os seus familiares estavam à sua volta; disse-lhes que na sua vida anterior havia sido o grande santo e avatar Shirdi Sai Baba. Os familiares e os amigos que estavam presentes não acreditaram nele. Shirdi Sai Baba foi um dos maiores santos da Índia no final do século XIX e início do século XX. Ele foi um avatar. No seu tempo, muçulmanos e hindus se odiavam; mas isso não impedia que ambos venerassem Shirdi Sai Baba. Ele tinha muitos dos mesmos poderes que Sai Baba tem nesta existência. Em seu leito de morte, Shirdi Sai Baba havia dito a seus devotos que renasceria oito anos após sua morte, numa determinada vila no sul da Índia. Oito anos depois nasceu Sai Baba, cumprindo a profecia. Contudo, a família e os amigos de Sai Baba não acreditaram nele; então, o menino apanhou um vaso de flores e o jogou no chão. Pedaços do vaso voaram por toda parte, e quando as flores caíram formaram as palavras "Shirdi Sai Baba". Foi pouco depois desse incidente que ele disse à sua família: "Meus devotos estão esperando por mim. Estou saindo de casa para sempre." Sai Baba saiu de casa e iniciou a formação do seu Ashram. Outra história da infância: Na escola, todas as outras crianças o chamavam de guru, e ele ensinava-lhes cantos religiosos e as orientava na encenação de peças teatrais espirituais. Um dia, entretanto, durante a aula, um professor substituto o acusou injustamente de mau comportamento e o pôs de castigo no fundo da sala, de pé numa cadeira; ele só poderia sair dali com autorização. Quando a sineta para o intervalo tocou, todas as crianças saíram, menos Sai Baba, que teve de continuar de castigo. Enquanto isso, o professor permanecia sentado no seu lugar, na frente da sala, inexplicavelmente colado à cadeira. Ele tentava se levantar para ir à sua outra aula, mas não conseguia. O professor seguinte chegou e perguntou-lhe por que ele ainda não havia saído. O professor substituto explicou sua estranha situação; foi então que o recém-chegado viu Sai Baba de pé na cadeira, bem no canto da sala, e entendeu o que havia acontecido, pois todos os professores conheciam seus poderes extraordinários. Ele disse para Sai Baba descer da cadeira. Quando Sai Baba desceu, o professor substituto pôde se soltar da sua cadeira. Sai Baba disse que sua vinda é uma encarnação tríplice de Avatar. Em sua vida passada, ele foi Shirdi Sai Baba. Nesta vida é Sathya Sai Baba. Ele encarnará mais uma vez como Prema Sai Baba. Sai Baba está atualmente (2005) com oitenta anos (na Índia o ano do nascimento é contado como o primeiro ano) e diz que viverá até os noventa e seis. Aos noventa e seis anos, ele passará para o mundo espiritual; dois anos depois, encarnará novamente como Prema Sai Baba. Ele chegou a materializar para um devoto um anel em que ele aparece em sua futura encarnação como Prema Sai baba.  Com o passar dos anos, a fama de Sai Baba se espalhou por toda a Índia e pelo mundo inteiro. Estima-se que ele possa ter em torno de setenta e cinco milhões de devotos. Em seu último aniversário, mais de dois milhões de pessoas compareceram ao seu Ashram para celebrar. Sai Baba disse que em sua encarnação como Shirdi Sai Baba, ele foi a encarnação de Shiva ou energia do pai. Em sua encarnação atual, como Sathya Sai Baba, ele é a encarnação de Shiva e de Shakti, ou energia da mãe. Em sua próxima vida como Prema Sai Baba, ele será a encarnação apenas da energia Shakti.

 

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 30/12/2009 em SAI BABA

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: